Croácia 2-3 Portugal | Rúben Dias resgata triunfo a Livakovic

Portugal despediu-se desta segunda edição da Liga das Nações com uma vitória. Na noite desta terça-feira, em Split, os ainda detentores do título derrotaram os croatas por 3-2, na sexta e última jornada do Grupo 3, num triunfo que só ficou consumado após um deslize do guardião Livakovic, que “ofereceu” de mão beijada o golo a Rúben Dias.

Além do defesa-central do Manchester City, que bisou, João Félix assinou o outro tento nacional. Do lado croata, que conseguiu assegurar uma vaga neste Grupo A, remetendo a Suécia para a Liga B, Kovacic também apontou os dois golos. Destaque para Fernando Santos, que alcançou a 50ª vitória ao leme da turma das “quinas”.

O jogo explicado em números

  • Ao todo, Fernando Santos procedeu a cinco alterações no “onze” que saiu derrotado na “final” do passado sábado contra a França. João Cancelo, José Fonte, Raphael Guerreiro (lesionado), William Carvalho e Bernardo Silva foram “riscados” e trocados por Nélson Semedo, Rúben Semedo, Mário Rui, João Moutinho e Diogo Jota. 
  • Numa investida que durou vários minutos, e dois pontapés de canto consecutivos, Portugal ficou a centímetros do golo aos 14 minutos, quando um cabeceamento de Diogo Jota saiu a escassos centímetros do alvo. E, pouco depois, Mário Rui centrou, mas Cristiano Ronaldo não conseguiu atingir o alvo de feição. Os anfitriões ripostaram aos 23 minutos, por intermédio de Pasalic, valendo o corte de Rúben Dias. Os lusos davam a iniciativa aos croatas, que tinham 56% da posse nesta fase, e tentavam explorar as costas da defensiva adversária.
  • Com a defesa mal posicionada, a turma das “quinas” estendeu a passadeira para o primeiro golo croata. Rúben Semedo cortou mal a bola, Pasalic aproveitou, centrou, Kovacic atirou, Rui Patrício defendeu, mas na recarga o médio do Real Madrid não vacilou e abriu a contagem à passagem dos 29 minutos.
  • A dez minutos do intervalo, belo entendimento entre Diogo Jota e Cristiano Ronaldo, mas já no interior da área croata o avançado do Liverpool não conseguiu finalizar a jogada. Juranovic (37′), a seguir, ficou muito próximo de aumentar a vantagem croata. Os campeões europeus apenas aos 39 minutos conseguiram enquadrar o primeiro remate ao alvo, por intermédio de Danilo, e registavam ainda cinco maus controlos da bola e seis perdas da posse. No último lance da primeira metade, João Félix desmarcou-se, mas rematou fraco e à figura de Livakovic.
  • Intervalo Triunfo dos vice-campeões europeus ao cabo dos primeiros 45 minutos, que aproveitaram da melhor maneira uma má abordagem de Rúben Semedo. Houve alguns bons momentos portugueses, principalmente entre os dez e os 20 minutos, período em que o corredor direito demonstrou um bom entendimento, com Nélson Semedo e Jota a explorarem a profundidade, mas além da falha já enumerada, houve muita precipitação na construção dos lances ofensivos e pouca intensidade e organização na recuperação pós perda da bola. O melhor elemento na primeira metade, com um GoalPoint Rating de 6.5, foi Kovacic que apresentou os seguintes números: dois remates, um golo, 33 acções com a bola, 85% de eficácia no capítulo do passe – quatro falhados em 26 feitos -, duas recuperações de bola e duas intercepções. Do lado português, e não obstante ter tido ligação directa ao golo croata, Rúben Semedo era quem tinha melhor avaliação, com um rating de 6.0. O central do Olympiacos conseguiu fazer sete passes verticais, levou a melhor em três dos quatro duelos aéreos que protagonizou, somando também três intercepções e outros tantos alívios.
  • Ao intervalo, Bruno Fernandes foi o “sacrificado” para a entrada de Trincão. De cabeça, Rúben Dias ameaçou o empate. Aos 51 minutos, Rog derrubou CR7 e acabou por ser expulso por acumulação de amarelos, deixando a equipa da casa reduzida a dez elementos. E este acabaria por ser um momento crucial na partida.
  • Logo depois, na sequência de um livre directo, Cristiano Ronaldo lançou uma bomba, Livakovic defendeu de forma incompleta, Rúben Semedo aproveitou o ressalto e assistiu Rúben Dias, que empatou o encontro aos 52 minutos e assinou o primeiro tento ao serviço da Selecção, ao cabo de 24 internacionalizações. Dos oito remates nacionais, quatro foram em direcção ao alvo.
  • E oito minutos volvidos, surgiu o golo da remontada. Diogo Jota cruzou e João Félix atirou a contar para o fundo da baliza contrária. Um lance em que a bola embateu na mão esquerda de Jota. Não havendo VAR na Liga das Nações, a equipa de arbitragem liderada pelo inglês Michael Oliver acabou por nada assinalar.
  • Mas durou pouco tempo a festa portuguesa. Em mais uma má abordagem do último terço, Kovacic, do meio da rua, rematou com força e precisão, bisou e empatou o encontro decorria o minuto 65. Realce para o trabalho de Vlasic perante Rúben Semedo.
  • A Croácia tinha menos um elemento em cena, mas conseguia criar diversas ocasiões para marcar (Perisic 73′ e Brekalo 75′), aproveitando as constantanes hesitações e passividade dos homens mais recuados de Portugal, principalmente os do corredor central – Rúben Semedo, Rúben Dias e Danilo Pereira. Foi preciso esperar até a dez minutos dos 90 para registar um ataque perigoso dos visitantes, mas Bernardo Silva, com a baliza à mercê, atirou para fora.
  • Num dos últimos suspiros da partida, após um canto, João Moutinho lançou, Livakovic com o lance aparentemente controlado agarrou a bola, mas largou-a deixando o golo à mercê de Rúben Dias, que não perdoou, bisou e voltou a deixar Portugal na dianteira do marcador.
  • Sem hipóteses de atingir a “final four” da prova, os ainda detentores do título da Liga das Nações venceram em Split, num duelo em que o resultado foi muito melhor do que a pálida exibição que os comandados de Fernando Santos rubricaram. Os croatas continuam sem saber o que é vencer a turma nacional. Em sete partidas oficiais, registo para seis triunfos lusos e um empate.

O melhor em campo GoalPoint

Sempre no sítio certo no ataque, Rúben Dias acabou por ser crucial no desfecho do encontro. Das três acções que teve com a bola dentro da área e dos três remates que fez, dois terminaram no fundo das redes croatas – Expected Goals (xG) de 0,9 -, e esteve ainda afinado noutros capítulos, com oito passes progressivos certos, 72 acções com o esférico e uma eficácia de 88% nas entregas (53 passes correctos em 60 tentados). Defensivamente, precipitou-se nalguns lances, mas mesmo assim bloqueou dois remates e somou quatro alívios. Por tudo isto, foi o MVP do jogo com um GoalPoint Rating de 7.7.

Jogadores em foco

  • Kovacic 7.6 – Em apenas 94 minutos, o médio ultrapassou o número de golos que tinha feito em 62 partidas ao serviço da selecção croata. Dos três remates enquadrados feitos, dois resultaram em golo. Influente em quase todas as acções, o jogador do Chelsea foi ainda determinante depois da expulsão de Rog, conseguindo travar alguns ataques portugueses, e acumulou seis recuperações de bola e três intercepções.
  • Nélson Semedo 7.2 – Uma das melhores exibições do lateral-direito com as cores lusas, deu profundidade e carrilou muito dos ataques pelo lado direito. Ao todo, foi o jogador que mais gizou cruzamentos (seis), completou os cinco dribles que tentou, sofreu três faltas e contabilizou cinco desarmes. A rever, os 11 passes falhados, quatro dos quais de risco.
  • João Moutinho 6.9 – O jogador do meio-campo mais esclarecido e voltou a demonstrar que ainda é peça basilar no esquema de Fernando Santos. Dos seus dados, a destacar as duas ocasiões flagrantes de golo que criou – máximo no jogo – e as 95 acções com o esférico, outro máximo no encontro.
  • Trincão 6.6 – Bastaram 49 minutos para sacudir o jogo e imprimir outra vivacidade ao ataque. Contabilizou três remates, cinco acções com a bola na área da Croácia e acertou três dos cinco dribles que fez.
  • Rúben Semedo 6.4 – Ofereceu o golo do 1-1 a Rúben Dias, foi quem mais fez passes progressivos correctos (11), venceu sete dos oito duelos aéreos em que interveio, fazendo, ainda, quatro intercepções e outros tantos alívios. No entanto, demonstrou alguma ansiedade e acabou por ficar ligado aos dois golos apontados pela Croácia.
  • Livakovic 4.4 – Os adeptos croatas devem estar neste momento a suspirar por Subasic. O guardião de 25 anos não teve uma noite feliz, nunca transmitiu segurança à equipa e acabou por borrar a pintura com uma má abordagem num lance que parecia de fácil resolução. Mesmo assim, foi responsável por cinco defesas, quatro das quais a remates no interior da área.

GoalPoint

[sc name=”assina” url=”https://goalpoint.pt/croacia-portugal-unl-202021_99687″ source=”GoalPoint” ]
PARTILHAR

RESPONDER

Um medicamento comum utilizado para tratar a diarreia pode ajudar a combater células cancerígenas agressivas

- Um fármaco comum prescrito para tratar a diarreia pode ajudar a combater um tipo agressivo de cancro cerebral (glioblastoma), sugere uma nova investigação levada a cabo pela Universidade de Frankfurt, na Alemanha. Em causa está a …

Trovants, as estranhas "pedras vivas" da Roménia que intrigam moradores (e fascinam cientistas)

Costesti, uma pequena cidade na Roménia, é o lar de estranhas manifestações geológicas que intrigam os habitantes locais com a sua aparência orgânica. Estas "pedras vivas" inspiram mitos sobre a capacidade de crescerem e moverem-se …

Cientistas descobrem (acidentalmente) nova espécie de cobra que estava escondida, porém à vista de todos

Jeff Weinell, investigador no Instituto de Biodiversidade da Universidade de Kansas, descobriu que três espécies de cobras preservadas na coleção de biodiversidade, encontradas em missões entre 2006 e 2012, e ignoradas até agora, pertenciam a …

Cientistas criam mini robô que navega pelo sistema vascular cerebral

Uma equipa de cientistas da Escola Politécnica Federal de Lausanne (EPFL), na Suíça, aproveitou a energia hidrocinética, a energia mecânica resultante do movimento de líquidos, para chegar a lugares do corpo humano sem recorrer a …

Cientistas podem ter detetado pela primeira vez o nascimento de um magnetar devido a uma colisão colossal

Há muito tempo, no Universo distante, uma enorme explosão de raios-gama libertou mais energia em meio segundo do que o Sol irá produzir durante a sua vida inteira de 10 mil milhões de anos. Depois de …

Flor com mais de 100 milhões de anos foi preservada até agora por âmbar birmanês

Um grupo de investigadores da Oregon State University identificou um novo género de uma flor do período médio do Cretáceo. Esta foi encontrada congelada no tempo por âmbar birmanês. George Poinar Jr., professor da Faculdade de …

Novo tratamento pode travar sintomas da covid-19

No Reino Unido, uma equipa de cientistas acabou de recrutar os primeiros participantes de um novo estudo de anticorpos de longa ação. Se o tratamento for eficaz, pode dar àqueles que já foram expostos ao …

Ondulações no espaço-tempo podem fornecer pistas sobre os componentes ausentes do Universo

Quase tudo encaixa na Teoria do Universo. Alguns cientistas defendem que as ondulações subtis na estrutura do espaço-tempo podem ajudar a encontrar a peça em falta. As ondas gravitacionais são ondulações no tecido do espaço-tempo que …

O fumo dos incêndios florestais esconde uma ameaça pouco conhecida: micróbios infecciosos

Este ano foi especialmente problemático no que toca a incêndios florestais. Além das inúmeras consequências já conhecidas da inalação do fumo, há mais uma ameaça até agora pouco conhecida: pode ser uma nova rota de …

Califórnia vai ter os primeiros veículos de entrega totalmente autónomos

https://vimeo.com/498001611 Quase três anos depois de ter revelado o seu veículo de entrega autónomo, a startup Nuro teve finalmente luz verde para iniciar as operações comerciais na Califórnia. Embora seja um veículo totalmente autónomo, o R2 foi …