Astrónomos descobrem centenas de estrelas de alta velocidade na Via Láctea (e algumas podem fugir)

Xiao Kong / National Astronomical Observatories of Chinese Academy of Sciences

Uma equipa de investigadores, liderada por astrónomos dos Observatórios Astronómicos Nacionais da Academia Chinesa de Ciências (NAOC), descobriu 591 estrelas de alta velocidade na Via Láctea – e 43 podem até escapar da galáxia.

Depois de a primeira estrela de alta velocidade ter sido descoberta em 2005, mais de 550 foram encontradas com recurso a vários telescópios.

“As 591 estrelas de alta velocidade descobertas desta vez duplicaram o número total previamente descoberto, elevando o número total atual superior a mil”, disse Li Yinbi, principal autor do estudo, em comunicado.

Estrelas de alta velocidade são uma espécie de estrelas que se move rapidamente – e pode até escapar da galáxia. “Embora raras na Via Láctea, estrelas de alta velocidade, com cinemática única, podem fornecer uma visão profunda de uma ampla gama da ciência galáctica, desde o buraco negro supermassivo central até ao distante halo galáctico”, disse Lu Youjun, co-autor do artigo.

Com base na cinemática e na química, a equipa descobriu que 591 estrelas de alta velocidade eram estrelas do halo interno. “As suas baixas metalidades indicam que a maior parte do halo estelar se formou como consequência do acréscimo e interrupção da maré de galáxias anãs”, disse Zhao Gang, astrónomo da NAOC e também co-autor do estudo.

LAMOST, o maior telescópio ótico da China, tem a maior taxa de aquisição espectral do mundo e pode observar cerca de quatro mil alvos celestes numa única exposição. O telescópio começou investigações regulares em 2012 e estabeleceu o maior banco de dados de espectros do mundo.

Gaia é uma missão baseada no Espaço do programa de ciências da Agência Espacial Europeia (ESA), lançado em 2013, e forneceu parâmetros astrométricos para mais de 1,3 mil milhões de fontes, que é o maior banco de dados de parâmetros astrométricos.

“Os dois bancos de dados massivos fornecem-nos uma oportunidade sem precedentes de encontrar mais estrelas de alta velocidade – e nós conseguimos”, disse Luo Ali, astrónomo da NAOC e co-autor do estudo.

A descoberta destas estrelas de alta velocidade revela que a combinação de várias investigações grandes no futuro ajudará a descobrir mais estrelas de alta velocidade e outras estrelas raras, que serão usadas para estudar o mistério não resolvido sobre a nossa própria galáxia.

Este estudo foi publicado este mês na revista científica The Astrophysical Journal Supplement Series.

[sc name=”assina” by=”Maria Campos, ZAP” url=”” source=””]
PARTILHAR

RESPONDER

Um medicamento comum utilizado para tratar a diarreia pode ajudar a combater células cancerígenas agressivas

- Um fármaco comum prescrito para tratar a diarreia pode ajudar a combater um tipo agressivo de cancro cerebral (glioblastoma), sugere uma nova investigação levada a cabo pela Universidade de Frankfurt, na Alemanha. Em causa está a …

Trovants, as estranhas "pedras vivas" da Roménia que intrigam moradores (e fascinam cientistas)

Costesti, uma pequena cidade na Roménia, é o lar de estranhas manifestações geológicas que intrigam os habitantes locais com a sua aparência orgânica. Estas "pedras vivas" inspiram mitos sobre a capacidade de crescerem e moverem-se …

Cientistas descobrem (acidentalmente) nova espécie de cobra que estava escondida, porém à vista de todos

Jeff Weinell, investigador no Instituto de Biodiversidade da Universidade de Kansas, descobriu que três espécies de cobras preservadas na coleção de biodiversidade, encontradas em missões entre 2006 e 2012, e ignoradas até agora, pertenciam a …

Cientistas criam mini robô que navega pelo sistema vascular cerebral

Uma equipa de cientistas da Escola Politécnica Federal de Lausanne (EPFL), na Suíça, aproveitou a energia hidrocinética, a energia mecânica resultante do movimento de líquidos, para chegar a lugares do corpo humano sem recorrer a …

Cientistas podem ter detetado pela primeira vez o nascimento de um magnetar devido a uma colisão colossal

Há muito tempo, no Universo distante, uma enorme explosão de raios-gama libertou mais energia em meio segundo do que o Sol irá produzir durante a sua vida inteira de 10 mil milhões de anos. Depois de …

Flor com mais de 100 milhões de anos foi preservada até agora por âmbar birmanês

Um grupo de investigadores da Oregon State University identificou um novo género de uma flor do período médio do Cretáceo. Esta foi encontrada congelada no tempo por âmbar birmanês. George Poinar Jr., professor da Faculdade de …

Novo tratamento pode travar sintomas da covid-19

No Reino Unido, uma equipa de cientistas acabou de recrutar os primeiros participantes de um novo estudo de anticorpos de longa ação. Se o tratamento for eficaz, pode dar àqueles que já foram expostos ao …

Ondulações no espaço-tempo podem fornecer pistas sobre os componentes ausentes do Universo

Quase tudo encaixa na Teoria do Universo. Alguns cientistas defendem que as ondulações subtis na estrutura do espaço-tempo podem ajudar a encontrar a peça em falta. As ondas gravitacionais são ondulações no tecido do espaço-tempo que …

O fumo dos incêndios florestais esconde uma ameaça pouco conhecida: micróbios infecciosos

Este ano foi especialmente problemático no que toca a incêndios florestais. Além das inúmeras consequências já conhecidas da inalação do fumo, há mais uma ameaça até agora pouco conhecida: pode ser uma nova rota de …

Califórnia vai ter os primeiros veículos de entrega totalmente autónomos

https://vimeo.com/498001611 Quase três anos depois de ter revelado o seu veículo de entrega autónomo, a startup Nuro teve finalmente luz verde para iniciar as operações comerciais na Califórnia. Embora seja um veículo totalmente autónomo, o R2 foi …