Arqueólogos descobrem sepultura de bebé que pode ter sido carbonizado no século VIII a.C.

Superintendence of Caltanissetta

As escavações ainda estão a decorrer no local

A antiga colónia grega de Gela, fundada em 689-688 aC, é uma verdadeira “mina” de informações sobre a época. A última descoberta foi feita durante a demolição de um edifício no passeio marítimo Federico II, a poucas centenas de metros da zona arqueológica do Bosco Littorio.

As escavações foram supervisionadas pela arqueóloga Daniela Vullo e pela diretora arqueológica Carla Guzzonewas, cuja função é monitorizar obras particulares numa cidade que já foi uma importante colónia grega.

Contudo, foi o arqueólogo Gianluca Calà quem descobriu os novos vestígios arqueológicos. Foram encontradas três estruturas de barro, sendo que dentro destas foram preservadas cinzas, madeira carbonizada e fragmentos de ossos humanos, que foram provisoriamente datados do século VIII aC.

Uma destas estruturas foi usada para a cerimónia fúnebre de uma criança com apenas alguns meses de idade, tendo em conta o tamanho dos restos do crânio e um pequeno pingente em forma de chifre que também foi descoberto entre as cinzas.

No local, são também visíveis buracos no solo para a instalação do caixão de madeira, onde foi colocado o corpo do bebé. A segunda sepultura contém os restos mortais de pelo menos um adulto, enquanto o terceiro ainda está a ser analisado.

A singularidade da descoberta reside na importância da cerimónia que visava purificar a alma do falecido e acompanhá-lo no reino de Hades, deus dos mortos. O significado desta cerimónia é expresso de várias formas, desde a representação das estruturas em cerâmica, às representações teatrais e na escrita.

Graças à riqueza dos detalhes relativos à cerimónia fúnebre, os arqueólogos sabem que, para os gregos, o funeral era um momento muito importante. Em questão estava a salvação da alma do falecido e a sua passagem deste mundo para o mundo dos mortos, o que só aconteceria se todas as etapas da cerimónia fossem conduzidas de forma adequada.

A lavagem do corpo, as lamentações das mulheres, o banquete em memória do morto, a procissão que acompanhava o corpo até ao local onde os seus restos mortais seriam transformados em cinzas, e o enterro. Tudo isto tinha de acontecer de acordo com as regras da tradição, ou o morto não poderia chegar junto de Hades e, nesse caso, iria permanecer na forma de um espírito maligno.

A nova descoberta representa apenas uma dessas etapas, porém, talvez a mais significativa.

Ainda assim, a tradição tinha outra etapa posterior à que foi descoberta. Depois do corpo do morto ser incendiado, as cinzas e os ossos que resistiam às chamas, eram recolhidos numa caixa funerária e transportados para o túmulo que os guardaria para sempre.

Além disso, se for confirmado que os enterros datam do século VIII aC, então este será o local de cremação mais antigo da história grega de Gela. No entanto, isso ainda não foi confirmado cientificamente.

De acordo com o News Network Archaeology, por enquanto, o foco está nas escavações que ainda estão a decorrer.

[sc name=”assina” by=”Ana Moura, ZAP” ]
PARTILHAR

RESPONDER

Um medicamento comum utilizado para tratar a diarreia pode ajudar a combater células cancerígenas agressivas

- Um fármaco comum prescrito para tratar a diarreia pode ajudar a combater um tipo agressivo de cancro cerebral (glioblastoma), sugere uma nova investigação levada a cabo pela Universidade de Frankfurt, na Alemanha. Em causa está a …

Trovants, as estranhas "pedras vivas" da Roménia que intrigam moradores (e fascinam cientistas)

Costesti, uma pequena cidade na Roménia, é o lar de estranhas manifestações geológicas que intrigam os habitantes locais com a sua aparência orgânica. Estas "pedras vivas" inspiram mitos sobre a capacidade de crescerem e moverem-se …

Cientistas descobrem (acidentalmente) nova espécie de cobra que estava escondida, porém à vista de todos

Jeff Weinell, investigador no Instituto de Biodiversidade da Universidade de Kansas, descobriu que três espécies de cobras preservadas na coleção de biodiversidade, encontradas em missões entre 2006 e 2012, e ignoradas até agora, pertenciam a …

Cientistas criam mini robô que navega pelo sistema vascular cerebral

Uma equipa de cientistas da Escola Politécnica Federal de Lausanne (EPFL), na Suíça, aproveitou a energia hidrocinética, a energia mecânica resultante do movimento de líquidos, para chegar a lugares do corpo humano sem recorrer a …

Cientistas podem ter detetado pela primeira vez o nascimento de um magnetar devido a uma colisão colossal

Há muito tempo, no Universo distante, uma enorme explosão de raios-gama libertou mais energia em meio segundo do que o Sol irá produzir durante a sua vida inteira de 10 mil milhões de anos. Depois de …

Flor com mais de 100 milhões de anos foi preservada até agora por âmbar birmanês

Um grupo de investigadores da Oregon State University identificou um novo género de uma flor do período médio do Cretáceo. Esta foi encontrada congelada no tempo por âmbar birmanês. George Poinar Jr., professor da Faculdade de …

Novo tratamento pode travar sintomas da covid-19

No Reino Unido, uma equipa de cientistas acabou de recrutar os primeiros participantes de um novo estudo de anticorpos de longa ação. Se o tratamento for eficaz, pode dar àqueles que já foram expostos ao …

Ondulações no espaço-tempo podem fornecer pistas sobre os componentes ausentes do Universo

Quase tudo encaixa na Teoria do Universo. Alguns cientistas defendem que as ondulações subtis na estrutura do espaço-tempo podem ajudar a encontrar a peça em falta. As ondas gravitacionais são ondulações no tecido do espaço-tempo que …

O fumo dos incêndios florestais esconde uma ameaça pouco conhecida: micróbios infecciosos

Este ano foi especialmente problemático no que toca a incêndios florestais. Além das inúmeras consequências já conhecidas da inalação do fumo, há mais uma ameaça até agora pouco conhecida: pode ser uma nova rota de …

Califórnia vai ter os primeiros veículos de entrega totalmente autónomos

https://vimeo.com/498001611 Quase três anos depois de ter revelado o seu veículo de entrega autónomo, a startup Nuro teve finalmente luz verde para iniciar as operações comerciais na Califórnia. Embora seja um veículo totalmente autónomo, o R2 foi …